terça-feira, agosto 09, 2005

JUVENTUDE NACIONALISTA:

:
JUVENTUDE NACIONALISTA
Alternativa Jovem e Radical ao Sistema de Destruição Nacional!

Portugal vive actualmente uma gravíssima crise político-social. A tão propalada crise económica, a que se somam as crises demográfica, de valores e de regime, não são senão algumas das muitas consequências da grave situação político-social que atravessa Portugal. Mas não se trata de uma crise passageira… Esta crise é de tal maneira grave que, sem falsos alarmismos, decorridos quase nove séculos desde a Fundação, a Nação Portuguesa joga actualmente a sua própria existência política e etno-cultural!

Podemos apontar a classe política que tem estado no Poder desde há várias décadas em Portugal como a principal responsável por este momento dramático que atravessa a Nação Portuguesa. Os Portugueses são desgovernados por quatro ou cinco partidos quase iguais entre si que se têm revezado nas cadeiras do Poder e que têm como principal função distribuir benesses e «tachos» entre os enfileirados das respectivas cores políticas. Partidos esses que são dominados por políticos que não servem o país, mas que se servem do país para os seus interesses particulares.

Para se eternizar no Poder e continuar a cobrar aos Portugueses regalias imerecidas e imorais, a classe política tem feito um grande esforço para anestesiar as novas gerações, de modo a anular o seu potencial de revolta. É apenas nessa lógica que se pode entender a destruição total do Sistema de Ensino português que, ao invés de preparar verdadeiros Portugueses para o futuro, saudáveis, fortes, inteligentes, esforçados, com carácter e capacidade crítica, tudo tem feito para fazer dos jovens pessoas física e mentalmente débeis, acríticas, conformadas, desistentes, viciosas e ignorantes.

Os jovens são o presente e o futuro de Portugal. O resgate da nossa Nação só pode ser empreendido por uma nova geração de jovens fortes, resolutos, corajosos e dispostos a colocar a comunidade nacional acima dos interesses individuais.

A inexistência de uma força nacionalista inteiramente dedicada à juventude era uma grave lacuna do movimento nacionalista português. Uma organização juvenil de índole patriótica é uma necessidade premente no seio da sociedade Portuguesa. É preciso transmitir os ideais nacionalistas aos jovens e romper definitivamente com a propaganda ao multiculturalismo, às drogas, à cultura do crime, do facilitismo, da desresponsabilização e da anarquia.

É vital que os nossos jovens tenham acesso a uma alternativa ideológica que faça frente ao BE e à JCP que, desde sempre, têm conspurcado e contaminado as mentes dos jovens Portugueses agitando bandeiras altamente lesivas para a sociedade e o interesse nacional, tais como a promoção de um ensino cada vez mais desleixado e facilitista, a liberalização das drogas e do aborto, o casamento e a adopção de crianças por homossexuais, a invasão de imigrantes e o multiculturalismo desagregador da unidade e harmonia nacional. Por outro lado, é preciso também denunciar a JS, JSD e JC, que apenas servem de estágio para aqueles que, por via da cunha e do favorecimento, e não por via do mérito, irão ocupar os lugares na máquina do Estado…

Não há, por conseguinte, nenhuma juventude organizada que se reja por ideais saudáveis, tais como o amor à Pátria. Este quadro ilustra bem a necessidade cada vez mais urgente da existência de uma Juventude Nacionalista que, por devoção à Nação, se dedique a actuar junto dos jovens, encaminhando-os para a única via capaz de solucionar as graves crises que afectam o nosso Portugal: essa via chama-se Nacionalismo!

Para tempos decisivos, uma Juventude forte e decidida! Para tempos de crise, uma Juventude radical e combativa!

Filipe Batista e Silva
Coordenador Nacional da JN