quinta-feira, setembro 29, 2005

FIGUEIRA DA FOZ – Barcos batem no fundo no Cabedelo

Armadores queixam – se do excesso de areia no porto de pesca. Quando a maré está vazia, afirmam, os barcos batem no fundo. Segundo os pescadores o método inadequado de dragagens tera piorado a situação.
O porto da Figueira da Foz espera à muito por uma intervenção, a até as lanchas rápidas da Brigada Fiscal não podem atracar devido à falta de condições.
Temos também de ter em conta que em alturas de marés baixas os rebocadores não podem sair, inviabilizando qualquer tentativa de socorro.
O sector piscatório continua navegar em águas agitadas. Mesmo quando se desenvolve com os pés na terra: A lota está cada vez pior. Tem falta de organização, limpeza e higiene. Por outro lado, não existem acessos às embarcações e o porto de pesca da Figueira é dos mais caros do país.
Os sucessivos governos têm votado o Distrito de Coimbra ao abandono, os autarcas ou não querem, ou não sabem lutar por melhores condições.
As obras no porto da Figueira para além de estarem a prejudicar um sector económico de elevado interesse para a Cidade e para o Distrito, implicam que a segurança dos pescadores seja posta em causa e impedem que a fiscalização se faça. Se um dia acontecer uma desgraça vamos ter os políticos do sistema a sacudir a água do capote, e a empurrar as culpas de uns para os outros.