quarta-feira, novembro 30, 2005

MODELO DE ESTADO NACIONALISTA

Ninguém se preocupe

Declarações da deputada do Bloco de Esquerda (BE), Ana Droga, no programa da SIC Notícias, moderado por Mário Crespo, terão chocado alguns católicos que entenderam que a deputada comparou crucifixos a chouriços, ao referir que, “se numa escola do interior estivesse pendurado um enchido, um chouriço ou qualquer outra coisa ligada à nossa cultura popular ninguém levantava a questão”.
Ninguém se preocupe, os crentes na laicidade do Estado estão a estudar alternativas à cruz e aos outros símbolos cristãos

OLIVEIRA DO HOSPITAL – Mais de 600 trabalhadores no desemprego

A fábrica Carrera deverá encerrar até ao final do ano devido a dívidas à Segurança Social. Mas existem mais empresas em dificuldades devido à crise nas confecções.
A perda dos principais clientes que deslocalizaram as produções para países de Leste levou a uma diminuição grande da facturação e ao não pagamento à Segurança Social.
Perante este tipo de cenário faltam-me as palavras, e um grito de revolta sai-me do peito.
Durante anos os políticos do sistema concederam benesses para a instalação de empresas, na altura vinham para os meios de comunicação apregoar aos sete ventos os seus gloriosos feitos. Sabendo que muitas das empresas só se instalavam em Portugal pelos baixos salários, e que qual ave de rapina, dariam o salto para outro país, na procurando baixar os meios de produção, através do recurso à mão-de-obra barata,apenas pensaram nos dividendos políticos que iam contabilizar na altura e não acautelaram o futuro. O resultado desta aventura está á vista, desemprego atrás de desemprego, empresas a fechar (para abrirem noutro país) e levando na onda empresas nacionais que começaram a depender das suas compras.
Acreditando no poder regulador do mercado e presos às directivas de Bruxelas, os políticos do sistema revelam a sua impotência para travar este flagelo que lesa a economia nacional, e põe no desemprego muitos portugueses.
Já começa a ser um lugar comum, mas vou terminar da mesma maneira. Enquanto o povo não acordar e deslocalizar esta cambada de parasitas, corruptos e traidores, só pode esperar mais do mesmo.

terça-feira, novembro 29, 2005

República e Laicidade: associação cívica

Violência nas escolas

O Governo vai criar um Observatório para a Segurança em Meio Escolar. A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, decidiu aceitar uma sugestão do Gabinete de Segurança do Ministério da Educação para a criação de um observatório, que acompanhe e analise cientificamente os dados estatísticos relativos à violência em meio escolar.
Fartos de observar e analisar estamos todos nós.
O que esperaríamos da Sra. Ministra é que actuasse, e pusesse cobro à violência.

Pequeno Presépio de Poemas de Natal

Os erros do acórdão de Pedroso


Relação de Lisboa decidiu que Pedroso não deve ser julgado
O acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) dos desembargadores Rodrigues Simão (relator), Carlos Sousa e Mário Morgado que confirmou a não ida de Paulo Pedroso a julgamento tem erros e pelo menos uma afirmação não justificada.
Fonte autorizada do Conselho Superior da Magistratura (CSM) – órgão responsável pela gestão e disciplina dos juízes – adiantou ao Correio da Manhã que Rodrigues Simão, Carlos Sousa e Mário Morgado poderão ser alvo de um inquérito, caso os “erros vão para além do habitual”.
“Se no decorrer do eventual inquérito de averiguações for provado que os erros não são meros lapsos inócuos, mas que houve dolo [intenção], a lei prevê que sejam abertos processos disciplinares”, acrescentou a mesma fonte do CSM.

COMEMORAÇÕES DO 1º DE DEZEMBRO :.



PNR COIMBRA



No dia 10 de Dezembro, pelas 11.00h terá lugar mais uma reunião do núcleo distrital do PNR.
Todos os interessados em participar deverão contactar-nos através do mail disponível no blogue.
Patriota junta-te a nós, nunca seremos demais.

Contra a democracia (não)representativa e a partidocracia

segunda-feira, novembro 28, 2005

O idiota da semana

O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que Portugal saiu "satisfeito" da I Cimeira Euro-Mediterrânica, destacando o combate ao terrorismo e a cooperação económica.

Quem têm telhados de vidro……..

Numa altura em que está a dispensar cerca de duzentos avençados e contratados a prazo, face a um plano de reestruturação dos serviços municipais levado a cabo pelo vice-presidente do município Paulo Pereira Coelho.
A Câmara Municipal da Figueira da Foz (PSD), por estar a ponderar contratar o antigo vereador Ricardo Silva como assessor do município.

A ARP têm um cromo de Coimbra

Não por não ter reparado, mas porque achei que o assunto merecia ser tratado em separado, não comentei o facto de um dos colaboradores da Associação Republica e Laicidade, ser uma personagem de Coimbra.
Trata-se do Carlos Esperança. Socialista dos quatro costados, nutre um ódio de morte por tudo o que é religião (chegou a publicar um artigo onde pedia um cemitério em Coimbra onde não houvessem cruzes, e outro contra o facto de a Guarda Nacional Republicana ter uma padroeira). Federalista convicto, abortista,e como bom seguidor das politicas do Sr Eng.defende a coinceneração para Souselas.
Façam uma viagem pelos blogues onde a criatura escreve, constatem com os próprios olhos o veneno que expele.Vejam as aluzões constantes à Igreja Catolica e forma como trata alguns assuntos.
Olhando para o ramalhete de colaboradores de que este Sr. É um exemplo, não nos restam duvidas acerca dos reais interesses desta Associação. Esperem pelos próximos capítulos e infelizmente terão que me dar razão.
Como já referi defendo a separação de Estado Igreja, não me causa nenhum problema o facto de não serem permitidos símbolos religiosos nas escolas. O que contesto, é que a decisão não nasce de uma atitude racional e ponderada, mas da sugestão de uma Associação (que cheira a Maçonaria até à quinta casa) que exala ódio por tudo o que é religião.
Um dia o povo português vai acordar e tirar estes sujeitos das paredes da nossa politica.

Acto de Afirmação Patriótica: a resposta de Portugal


O dia 1º de Dezembro é uma das grandes datas nacionais. Nela comemoramos a Restauração da nossa independência; da nossa soberania!
Esta independência, esta soberania e esta identidade nacionais, estão hoje gravemente ameaçadas! Importa pois, que no 1º de Dezembro os Nacionalistas saiam à rua e se façam ouvir.
Vamos comemorar esta nossa data, já que o Poder instituído não o faz, ou o faz muito timidamente e sem vontade, na justa medida em que todas as suas iniciativas, nos restantes 364 dias do ano, concorrem, inversamente, para a destruição de Portugal.
Vamos nós então - Patriotas, Nacionalistas - dar a resposta de Portugal às ameaças reais de perda da soberania e da própria identidade!
Dia 1 de Dezembro, vamos fazer o nosso "Acto de Afirmação Patriótica" em Lisboa e no Porto.
Basta de traição!
Portugal, Sempre!

domingo, novembro 27, 2005

Nunca me enganas-te

"Sempre dei grande importância à liberdade pessoal".

"Se a Assembleia aprovasse uma lei nesse sentido [permitir o casamento de pessoas do mesmo sexo] que faria como presidente?
Independentemente da minha posição pessoal, não a vetaria.
Mas é uma prioridade?
Não. É uma questão que diz respeito à liberdade das pessoas e não devemos fugir dela".

Manuel Alegre, entrevista ao Público (24 Novembro 2005)

A PEDIDO DE UMA PEQUENA ASSOCIAÇÃO (RL) QUE NINGUÉM OUVIU FALAR o Ministério da Educação mandou retirar os CRUCIFIXOS das escolas.

O Ministério da Educação mandou retirar o crucifixo das escolas.
A notícia foi tornada hoje pública pelo jornal Diário de Notícias.
Em Abril, a Associação República e Laicidade (RL) (Quem já ouviu falar desta Associação? Quantos portugueses representam? Inspiram-se certamente nos franceses!) denunciou ao Ministério da Educação cerca de 20 casos de crucifixos nas salas de aula, pedindo a sua retirada, de acordo com a Constituição e a Lei de Liberdade Religiosa.
É tal a afronta que nem a Comissão de Liberdade Religiosa foi contactada nem consultada para a tomada desta decisão.
Retirei este excerto de um texto publicado no blogue Padres Inquietos.

Pesquisando na Net dei com a página desta Associação
. Nos seus colaboradores encontram-se nomes como:Vital Moreira,Fernando Rosas, Luis Mateus, Desidério Murcho, Daubi Piccoli,Ricardo Gaio Alves,Carlos Esperança,Dino Monteiro, Ferreira Fernandes, Sottomayor Cardia. Face a esta colecção está tudo

Nós os nacionalistas sabem bem o poder destas Associações que ninguém conhece mas que têm um poder enorme, nas decisões do aparelho de Estado e na Justiça.

O rosto do comunismo

A ler no Sexo dos Anjos.

Acto de Afirmação Patriótica




A distrital do Porto do PNR está a organizar um Acto de Afirmação Patriótica para o dia 1 de Dezembro, que consistirá num desfile desde a C. M. do Porto até à estátua de Vimara Peres, junto à Sé.

O objectivo deste acto é afirmar o nosso desejo de manter viva a chama de Portugal, mas também protestar veementemente contra a actual classe política no Poder, toda ela responsável pelo estado de decadência a que chegou a Nação.

Todos os Nacionalistas, assim como todos os cidadãos preocupados com a situação do nosso país, são convidados a comparecer!
Programa:
12h - Almoço de confraternização (10 euros)
15h - Concentração em frente à C. M. do Porto.
O almoço é facultativo. Para marcações ou mais informações, é favor contactar:
Tel. 96 244 44 51 / 91 980 29 77
E-mail: porto@pnr.pt Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder vê-lo

sábado, novembro 26, 2005

Igreja dá razão ao PNR

Igreja dá razão ao PNR
Secção Notícias
Sábado, 26 Novembro 2005

O Vaticano anunciou esta semana que «não pode admitir no Seminário e nas Ordens sacras aqueles que pratiquem a homossexualidade, apresentem tendências homossexuais profundamente enraizadas ou apoiem a chamada cultura gay», em resposta aos recentes casos de pedofilia, conforme anunciou o JN de 24 de Novembro.
O PNR já tinha revelado posição idêntica quando, em Setembro último, organizou uma manifestação contra o casamento e adopção de crianças por homossexuais. Na altura a comunicação social foi lesta a acusar-nos de «intolerância», entre outros adjectivos habituais, os quais não foram desta vez usados para posição idêntica tomada pela Igreja.
De qualquer forma, perante o silêncio dos restantes partidos portugueses, ficou claro que a Igreja deu razão ao PNR, sendo este o único partido que tomou uma posição clara contra o poderoso lobby-gay.

Cocaína agarra miúdos

Em Portugal, o consumo de cocaína tem vindo a aumentar entre os mais novos, em especial nos jovens com idade escolar entre os 13 e os 15 anos. Estes dados constam do relatório ontem divulgado, ‘Tendências por Drogas em 2004’, do Instituto da Droga e Toxicodependência (IDT).
Segundo o documento, a população escolar do 3.º Ciclo do Ensino Básico e a população reclusa evidenciaram prevalências de consumo de cocaína ao longo da vida superiores às de heroína. “No contexto dos consumos problemáticos, a cocaína apareceu frequentemente associada ao consumo da heroína”, lê–se também.
Mas não são só estes dados a causar preocupação. A par do aumento do consumo de cocaína em Portugal, também o de haxixe está a crescer, revela outro relatório de 2005, desta feita do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT). ‘A Evolução do Fenómeno da Droga na Europa’ foi ontem divulgado em Bruxelas e avalia o fenómeno da droga no espaço europeu.
MAIS CONSULTAS
João Goulão, presidente do IDT, considera que os dados apresentados no relatório do OEDT têm correspondência com a realidade nacional. “Há uma ligeira diminuição do uso de heroína mas há, em contrapartida, um aumento do uso de cocaína e de haxixe.”
Cerca de 68 por cento dos processos por consumo de drogas de 2004 estavam relacionados apenas com canábis (66 por cento com haxixe e apenas dois por cento com liamba).
A canábis é, por outro lado, a substância que fez aumentar em dois por cento o número de primeiras consultas para tratamento (12 por cento em 2004 face a dez por cento em 2003).
“O número de pessoas que pedia ajuda para se libertar da canábis era praticamente irrelevante”, frisa João Goulão. “Em 2004, o número de primeiras consultas por esta substância aumentou dois por cento.”
CULPA DO GOVERNO
O aumento do consumo de drogas em Portugal é fortemente criticado pela Associação para Portugal Livre de Drogas, que aponta o dedo à política seguida pelo actual Governo e aplicada pelo IDT.
“Nos últimos seis anos houve um acréscimo em 44 por cento do número dos consumidores em idade escolar [16-18 anos] e um aumento da criminalidade associada ao consumo”, acusa Manuel Pinto Coelho, director daquele organismo. “A somar a este grave problema social assistimos a uma diminuição dos traficantes detidos e esta é a consequência das políticas tomadas pelo Governo.”
A realidade, segundo conta Pinto Coelho, não podia ser mais negra. “60 a 70 mil dependentes de opiáceos (heroína, metadona ou buprenorfina) e cerca de 100 mil consumidores de haxixe.”
CONTRA A LIBERALIZAÇÃO
As críticas de Pinto Coelho, fundamentadas em dados do último relatório do Instituto Nacional da Administração, expressam o seu receio – a liberalização do consumo. “A descriminalização do consumo levou ao aumento. Se for liberalizado ninguém duvida que continuará a aumentar o número de dependentes”.
João Goulão admite que “está para breve a revisão da lei da descriminalização do consumo”, que é “taxativa”, quando fixa a quantidade abaixo da qual a posse não é crime mas apenas dá azo a multa. Actualmente, não é considerado crime ter uma quantidade de droga destinada ao consumo para dez dias. “As comissões de dissuasão da toxicodependência também vão ser revistas.”
PORTUGAL COM MAIOR PREVALÊNCIA DO VIH
A percentagem de casos de infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) associada à toxicodependência continua em decréscimo: 42 por cento do total em 2003 contra 39 por cento em 2004. Mesmo assim, Portugal continua a ser o país da União Europeia com maior índice de VIH entre os Consumidores de Droga Injectável, cerca de dez por cento. Sublinhando que “a transmissão da sida, hepatites e da tuberculose em 2004 se manteve em números basicamente idênticos aos dos últimos três anos”, João Goulão, presidente do IDT, considera que a tendência de estabilização “só prova que programas como o da troca de seringas ou de substituição opiácea dão bons resultados.”
MAIS CRIME ASSOCIADO
Há apenas dois dias agentes da Judiciária levaram a cabo a maior apreensão de cocaína em Portugal e a maior do ano na Europa: 6100 quilos. Delitos como este, verificados no contexto do mercado ilícito de drogas, bem como os cometidos sob influência delas ou para financiar os consumos, incluem-se no conceito de “criminalidade relacionada com droga”, a aumentar em Portugal, sobretudo associada à canábis (haxixe/erva).
O relatório ‘A Evolução do Fenómeno da Droga na União Europeia’, com dados, relativos a 2003, sobre os 25e a Noruega, Bulgária, Roménia e Turquia, indica os países onde a percentagem de infracções ligada à canábis tem aumentado desde 1998, entre os quais Alemanha e Portugal.
O consumo ou a posse de droga para consumo próprio constitui a principal infracção na maioria dos Estados-membros, variando entre 37 por cento na Polónia e 87 na Áustria e Reino Unido. Outro relatório, relativo a Portugal, e apresentado também ontem, revela que as forças policiais realizaram, em 2004, 2439 apreensões de haxixe, 1088 de heroína, 1047 de cocaína, 289 de liamba e 158 de ecstasy. No caso da cocaína, as quantidades apreendidas foram as mais elevadas da última década.
POR CAUSA DA DROGA
CONSULTAS
A oferta e a procura de tratamento da toxicodependência estabilizou em 2004 no País.
Verificou-se um aumento ligeiro do número de utentes na rede pública e convencionada com o Estado, tanto a nível de consultas como do internamento (mais um por cento face a 2003). O número de consultas de seguimento de tratamento da toxicodependência aumentou quatro por cento face a 2003, atingindo o valor mais alto nos últimos cinco anos (374 149 consultas).
UTENTES POR REGIÕES
Os distritos de Lisboa, Porto, Setúbal e Faro são aqueles que registaram o maior número de utentes em tratamento e também de primeiras consultas na rede pública de tratamento da toxicodependência.
SUBSTITUIÇÃO
O número de utentes integrados em programas de substituição opiácea também cresceu para 19 260 (mais 14 por cento face a 2003).
SOFRER SEM DROGA
A abstinência da heroína provoca grande sofrimento físico à pessoa, com dores musculares e alteração das funções orgânicas, enquanto a ressaca da cocaína provoca danos psicológicos, depressão e apatia.
MENOS MORTES
“O número total de mortes relacionadas com a droga, notificadas pelos Estados-membros da UE-15 e pela Noruega, baixou de 8394 casos em 2001 para 7122 em 2002, o que representa uma diminuição de 15 por cento, embora haja indícios de que esta descida acentuada possa estar agora a estabilizar”, conclui o OEDT.
DOENÇAS CONTAGIOSAS
No capítulo referente às doenças infecto-contagiosas relacionadas com o consumo de drogas, a agência europeia de informação sobre a droga afirma que, “nos Estados-membros da UE-15, os índices de casos recentemente diagnosticados mantiveram-se baixos nos últimos anos, com excepção de Portugal”.

Novopress

BANCO ALIMENTAR VOLTA A RECOLHER ALIMENTOS ESTE FIM-DE-SEMANA



Todos junto podemos fazer a diferença e ajudar os portugueses com carências alimentares neste Natal.
Eu já colaborei. Faça você o mesmo.
Banco Alimentar Contra A Fome

Os Degolados de Montemor-o-Velho

A ler no em "A Corneta do Diabo"um blogue de JP Magalhães e Santos.

PNR COIMBRA



No dia 10 de Dezembro, pelas 11.00h terá lugar mais uma reunião do núcleo distrital do PNR.
Todos os interessados em participar deverão contactar-nos através do mail disponível no blogue.
Patriota junta-te a nós, nunca seremos demais.

sexta-feira, novembro 25, 2005

Coimbra quer avançar com eléctrico rápido

A Câmara Municipal de Coimbra está disposta a lançar a empreitada do eléctrico rápido de superfície na cidade, em parceria com a sociedade Metro Mondego e investidores privados.
Esta obra deve ter como fim servir as populações abrangidas, e não ser um negócio a instalar a coberto da falha do governo.
No entanto se forem acautelados os reais interesses das populações. Se ficar acordado que os preços a praticar serão os estritamente necessários para que o projecto não dê prejuízo. Talvez esta seja a única alternativa para o eléctrico rápido ir em frente, uma vez que do governo PS nada de bom, será de esperara para Coimbra e para o Distrito.
Prevejo mesmo que enquanto a região não se subjugar à coinceneração, o ódio do Sr. Eng. não terá fim.

PRESIDENCIAIS

Fotos de Coimbra


Para que gosta de fotografia recomendo uma passagem por este blogue, onde pode apreciar fotos de Coimbra.

O que tem o processo de Bolonha em comum com a Super-Liga?

Opinião: O que tem o processo de Bolonha
em comum com a Super-Liga?

Infelizmente, pouco se tem falado sobre Bolonha em Portugal. Um tema importantíssimo para o país que, como tantos outros, tem passado despercebido. Agora, com documentos assinados e protocolos em marcha, pouco há a fazer. No entanto, é bom ter opinião em relação a estes assuntos. O que é então o processo de Bolonha?

A primeira pessoa que me explicou do que se tratava, fê-lo entusiasticamente, comparando o Processo de Bolonha ao mundo do futebol. Disse-me que os alunos vão ser como jogadores, disputados pelas várias universidades da Europa. Um Espaço Europeu de Ensino Superior, competitivo e atractivo para estudantes da União. E não importa que percamos grandes estudantes nacionais, pois podemos acolher alunos de outros países. Disse-me que Portugal pode não ter as melhores universidades nem oportunidades de oferecer grandes bolsas de estudo, mas tem outras condições atractivas, como o clima bestial e uma hospitalidade lendária.

A estratégia que supostamente seria para me convencer resultou no sentido contrário. Bastou-me ouvir as analogias com o mundo futebolístico para começar a torcer o nariz à ideia. Tal como na Super-Liga, com o Processo de Bolonha, Portugal não tem quaisquer hipóteses de competir com as outras universidades da Europa. É básico. Basta pensar que mais de metade dos titulares da selecção nacional competem em campeonatos estrangeiros e que todos os grandes jovens valores portugueses são exportados para outros países. Por outro lado, alguém acha que a modernidade dos estádios portugueses atrai as grandes estrelas internacionais? Óbvio que não. Resumindo, o Processo de Bolonha é um mau negócio (falando na linguagem dos eurocrápulas de Bruxelas) para Portugal. Trocamos as nossas maiores promessas (que podem nunca mais voltar ao país) por estudantes de 3ª e 4ª categoria (como os brasileiros que actuam na SuperLiga).

Mas há ainda outras razões para dizermos não a Bolonha: o aumento das propinas (já que o protocolo tem como um dos objectivos a privatização do ensino superior), a adopção de uma estrutura de graus baseada essencialmente em dois ciclos (que desvirtua a licenciatura, fazendo-a equivaler a um simples bacharelato) e diminui a exigência do Ensino Superior (lançando gente menos bem preparada para o mercado de trabalho).

Como podemos ver, o Processo de Bolonha é muito mais complexo do que poderia parecer à primeira vista. É uma total metamorfose do Ensino Superior. Um arranque rumo a uma Lei Bosman universitária que vai fazer de Portugal, cada vez mais, uma simples e ridícula reserva de eucaliptos.
E tudo isto, sem perguntar a opinião a ninguém…

João Farinha
Página da Juventude Nacionalista


--------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, novembro 24, 2005

ALTERMEDIA



A Altermedia, voltou e em força faça uma visita, e não deixe de ler este artigo.

Blogues que visito

Uma reflexão sobre as sondagens a ler no Sexo dos Anjos.

Choque Tecnológico

«Os consumidores portugueses pagam, em média, mais 37% do que os seus congéneres espanhóis por cada quilograma de gás butano de botija. No gás propano, utilizado pela indústria, os preços por quilograma engarrafado são quase 50% mais caros em Portugal do que no vizinho ibérico.»

Temos PAPA

Papa exclui homossexuais do sacerdócio

A Igreja exclui dos seminários e do sacerdócio quem praticar a homossexualidade, "apresentar tendências homossexuais profundas" ou apoiar a chamada "cultura gay", segundo um documento hoje divulgado.Veja aqui

quarta-feira, novembro 23, 2005

A propósito de Padres no banco dos réus




COMUNICADO

Foi com grande consternação que os Juntos Pela Vida souberam da
condenação do Pe. Nuno Serras Pereira no âmbito de um processo-crime no
qual este sacerdote vinha acusado da prática do crime de difamação, em
resultado de uma queixa apresentada pela APF (Associação para o
Planeamento da Família), alegadamente ofendida pelo artigo “Os
Abortófilos”, publicado no jornal do Entroncamento dirigido pelo Padre
José Luís Borga.

Queremos por isso publicamente:

1. Manifestar a nossa solidariedade e total apoio ao Padre Nuno Serras
Pereira. Sabíamos que em alguns países que vivem em democracia (EUA,
Canadá e outros) a manifestação de uma opinião contrária à mentalidade
dominante nos “media” pode provocar processos semelhantes e às vezes
resultar em prisão. Verificamos agora que tal também pode suceder em
Portugal.
2. Testemunhar, em virtude de termos assistido à audiência de
julgamento, que no processo ficou demonstrado que:
a) A APF não se socorreu, junto do jornal do Entroncamento, do “direito
de resposta” como legalmente lhe era garantido, reagindo assim em
termos
normais a um artigo de opinião com que pretensamente se terá
“ofendido”;
b) A APF não pediu no processo qualquer indemnização cível;
c) A APF usou o processo apenas para exercer uma inaceitável pressão
sobre o Padre Nuno Serras Pereira e outras pessoas que sobre a APF e
quem defende o aborto, fazem o mesmo juízo ou avaliação.
d) Correspondiam à verdade não apenas as citações incluídas no artigo
em
causa, como as situações descritas no mesmo. Isto mesmo foi confirmado
pela testemunha Maria José Alves (membro destacado da Associação).
3. Reafirmar que a APF é hoje, como o é desde longa data, uma
organização cuja grande preocupação política é a obtenção do aborto
livre em Portugal, conforme nomeadamente se pode verificar de qualquer
abaixo-assinado movido pelo mesmo propósito, da presença sistemática
dos
seus membros nos debates sobre o aborto, em posição favorável ao mesmo,
ou até de declarações de Duarte Vilar quando descreve em relatórios
internacionais da IPPF a actuação da sua organização e a caracteriza
como desempenhando um papel determinante nessa batalha política. Nenhum
problema existe nesse facto se simultaneamente a APF não fosse a
organização tentacularmente mais instalada a nível de aparelho de
Estado, nas questões da educação sexual e planeamento familiar, e
através dessa posição desenvolva uma actividade persistente de formação
das mentalidades no mesmo sentido dos seus objectivos políticos.
4. Acusar a APF de falta de cultura cívica e democrática. Ficou assim
patente aos olhos de todos a intolerância que se esconde na posição de
tantos tolerantes…
5. Lembrar que no debate político e naquele que versa sobre o aborto em
especial, a temperatura da expressão sobe com frequência e que quem não
é capaz de aguentar essas oscilações não deve frequentar essas
paragens…
Não é por acaso a palavra hipocrisia (que acreditamos é universalmente
entendida como insultuosa) aquela que mais frequentemente é chamada à
colação para descrever a atitude daqueles que se opõem ao aborto livre?
E, apesar disso, há memória de algum processo judicial mandado
instaurar
por alguma dessas pessoas ou associações? Haja pois uma tolerância
real,
porque aquela da APF, já o sabíamos, passa sempre pela exclusão de
alguém…
6. Informar a APF e todas as pessoas e organizações que defendem o
aborto livre que manobras de pressão como esta não nos atemorizam.
Apesar de, aqui sim, parecer que há quem queira mandar os outros para a
prisão, fiquem sabendo que, como dizia o poeta, haverá sempre alguém
que
resiste, haverá sempre alguém que diga Não!
7. Declarar o dia de hoje como um dia negro para a liberdade de
expressão em Portugal. 30 anos depois do 25 de Abril há por aí uns
senhores que se dão mal com a democracia e querem repôr o “lápis azul”.
Lisboa, 21 de Novembro de 2005

RACISMO?



Mário Soares para a revista Alemã Spiegel, em 1974.
SEM COMENTÁRIOS

Juventude Nacionalista

PJ faz maior apreensão de cocaína em Portugal

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta terça-feira, a maior de apreensão de cocaína de sempre em Portugal (6,1 toneladas), efectuada ontem nos arredores de Lisboa, numa operação que incluiu a detenção de sete pessoas.
Além da droga, proveniente da Colômbia, foram apreendidos num armazém do Prior Velho, concelho de Loures, quatro viaturas ligeiras (duas de matrícula portuguesa e duas com matricula espanhola), um camião, 19 telemóveis e 20 mil euros.
Durante a operação «Courage», levada a cabo pela Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes da PJ, foram detidos seis franceses e um colombiano.
Os indivíduos pertenciam a uma rede internacional de tráfico de droga, que a Judiciária acredita ser «responsável pela introdução de grandes quantidades de cocaína no espaço europeu».
A acção foi concretizada «na sequência de uma complexa investigação desenvolvida nos últimos meses», adiantou a Polícia em comunicado.
A abolição de fronteiras resultante dos Acordos de Schengen, veio facilitar o tráfico de estupefacientes, não existe nenhuma fiscalização. É uma saída tranquila, onde tudo pode ser levado, sem nenhum problema, tanto num sentido como no outro.
A falta de meios de fiscalização da nossa costa, é também um forte aliciante para que Portugal seja uma porta de entrada de droga.
O tráfico de estupefacientes tornou-se o negócio mais lucrativo do nosso século. Produzindo lucros da ordem dos 80% faz entrar na economia legal mais de trinta mil milhões de contos por ano. Em Portugal, calcula-se que o tráfico interno lave e aplique por ano em negócios legais, perto de cinquenta milhões de contos.
Os narcotraficantes internacionalizaram o seu negócio e criaram redes que fazem cruzar o mundo do crime e da economia legal. O poder económico criado com esta actividade permite-lhes instalar-se em áreas do poder político.
No passado, a acumulação de capital necessária ao arranque industrial foi possível graças aos lucros obtidos nas colónias sob domínio europeu. O tráfico de escravos e outros negócios somados à exploração de mão-de-obra barata, de que a infantil é exemplo, possibilitaram o desenvolvimento industrial no chamado mundo ocidental.
No nosso século, a ligação das máfias e do mundo do crime aos negócios legais tem sido um instrumento de que o capitalismo se serve para melhor se afirmar e perdurar. O tráfico de droga desempenha, nas sociedades actuais, o papel que outras formas de crime e exploração desempenharam noutros tempos na sustentação da economia legal.
O paradigma do capitalismo aponta para o máximo lucro em relação ao investimento, o anonimato dos negócios, a fiscalidade mínima ou nula, a máxima precariedade nas relações laborais, por isso se pode afirmar que o narcotráfico é o verdadeiro paradigma do capitalismo. Tal facto torna o seu combate mais complexo e difícil.
A mobilidade de pessoas, tecnologias e capitais que caracterizam a globalização da economia mundial, no nosso tempo, facilitam a lavagem dos lucros resultantes do tráfico de droga e tornam o trabalho das polícias mais difícil. Na actual situação, a apreensão da droga, que não ultrapassa 10% do produto transaccionado, incomoda pouco os traficantes. Estes seguem as leis do mercado: as apreensões, diminuindo a oferta, provocam a subida do preço pouco alterando os lucros resultantes das operações criminosas.
O enorme poder económico dos narcotraficantes, a sua ligação à economia legal, a penetração em áreas do poder político e económico e no sistema policial permitem-lhes escapar facilmente ao controlo policial que, comparativamente, dispõe de fracos recursos. O reconhecimento destas realidades obriga-nos a procurar outros meios que permitam combater mais eficazmente este flagelo social.
Estranhamente os políticos de esquerda defendem a liberalização das drogas, nós dizemos que este tipo de politicas só vem favorecer o negócio. Na sua luta pelas “amplas liberdades” na procura de apoiantes em zonas marginais da sociedade, os socialistas, marxistas e restante camarilha, acabam por fazer um favor, facilitando a vida àqueles que dizem combater.
O mundo tem hoje quase 200 milhões de drogados. Grande parte deles é vulnerável ao vírus da sida. Outra parcela significativa está exposta às acções do crime organizado no tráfico.
O consumo e tráfico de droga pode ser considerada uma doença do regime político que hoje governa o nosso planeta.
A incapacidade de resolver o problema, resultados lobbys instituídos, da sua ligação à classe politica, no medo de agir, na estupidez dos marxistas

Blogues que visito

Dos blogues que visito retirei estes dois textos. Recomendo a leitura dos mesmos, que são a prova que o nacionalismo está vivo e recomendasse, e que o PNR com esforço e trabalho pode muito bem, ambicionar voos mais altos do que aqueles que os seus inimigos desejam.

Último Reduto
Batalha Final

terça-feira, novembro 22, 2005

MONTEMOR-O-VELHO – Orçamento corta na despesa corrente

A autarquia de Montemor vai fazer notar no próximo orçamento a sua política de redução e contenção das "despesas supérfluas".
Já em tempos escrevi sobre a actuação deste executivo camarário. Agora ao ler esta notícia no Jornal "As Beiras", venho lançar aqui um repto a quem me lê. O objectivo do desafio é tentar responder à dúvida que vou colocar.
As Associações culturais, recreativas e desportivas do Concelho têm visto os seus pedidos de auxílio económico serem recusados com base no argumento da falta de verbas. A julgar pela notícia acima referida tudo estaria correcto. No entanto sabemos que uma Associação da Freguesia de Arazede, recebeu de mão beijada uma avultada quantia para fazer obras na sua Sede, e na falta do placar respectivo,está fazendo as obras sem a respectiva licença, e violando o traçado do edifício.
Responda quem souber:
Qual a Associação em causa?
Qual a cor politica da Direcção da referida colectividade?

Pequeno Presépio de Natal

A Antília Editora convida V.Exa. para o lançamento do livro "Pequeno Presépio de Poemas de Natal" de Rodrigo Emílio, no Círculo Eça de Queiroz, sito no Largo Rafael Bordalo Pinheiro, n.º 4, em Lisboa, dia 30 de Novembro, às 19 horas.
A apresentação da obra será feita pelo poeta e crítico António Manuel Couto Viana.
A obra inclui oitenta e cinco poemas de Natal, escritos por Rodrigo Emílio entre 1959 e 2003, sendo estes — na sua grande maioria — rigorosamente inéditos. Apresenta-se ainda um amplo estudo panorâmico do autor, com o título: "O Tema da Natividade na Poesia Portuguesa, a nacionalização poética do Natal e a religiosidade e regionalidade inscritas no mesmo, enquanto motivo de inspiração criadora", e um prefácio do poeta e crítico António Manuel Couto Viana. Segundo este, "Pequeno Presépio de Poemas de Natal" vem a ser: «Mais um livro fascinante do poeta que na quadra festiva a aproximar-se breve para a nossa comoção cristã (e cito versos de Rodrigo Emílio) nos toca «no presépio/ como prenda», magnífica, «de Natal.».
Antília Editora Lda.
Rua 15 de Novembro, 43 - 2.º
4100-421 Porto
Telef.: 226068828
Telem.: 917885190
Email: antiliaeditora@gmail.com



Leia, ouça, conheça e encomende Rodrigo Emilio

PORTUGAL PRECISA DE SI



Pilhado no Piolho da Solum

segunda-feira, novembro 21, 2005

Espalhem esta mensagem para as pessoas saberem a verdade.

Espalhem esta mensagem para as pessoas saberem a verdade.


APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o
socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante
as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.

A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608
contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.

A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado -
técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar
de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral
do
Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.

A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro,
num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para
evitar a ruptura da Segurança Social.
O dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da
Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu
sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os
restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo
inteiro. Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a
contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro.

Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma,
Vasco Franco foi convidado para administrador da Sanest, com um
ordenado
líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade
de
capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais,
Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de
saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente
da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco
Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por
um
período de 18 meses.

A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos
do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000
euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao
EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública
para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos
mais
de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco
recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em
combate em Moçambique já depois do 25 de Abril (????????), e cerca de
250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem
pelouro.

Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no
activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro,
motorista, secretária, assessores e telemóvel.

Paião jovem agricultora aposta na produção biológica

Certificados para a produção biológica estão já 2,5 hectares, esperando-se, para breve, a certificação de outros tantos. A exploração agrícola está situada em Seiça, freguesia do Paião.

A globalização da alimentação tem mostrado que a opção não terá sido a melhor, sobretudo, para a saúde dos humanos. Na tentativa de arrepiar caminho, começam a florescer as produções biológicas, ou seja, aquelas que não recorrem a produtos químicos para fertilizar os terrenos ou controlar as pragas.

Enquanto o poder politico do sistema, refém dos grandes grupos económicos nos vai empurrando para produtos de baixa qualidade, alguns sectores da sociedade civil, remando contra a maré, dedicam-se a actividades que merecem todo o nosso apoio.

sexta-feira, novembro 04, 2005

Conferência Nacionalista

Conferência Nacionalista

Vai realizar-se no dia 19 de Novembro, em Lisboa, com hora e local ainda a anunciar uma Conferência Nacionalista com o tema, "Nacionalismo europeu e perseguições políticas a nacionalistas".
Atravessamos um período em que os instalados no Poder sentem os seus pés de barro a tremer, fruto do caos que eles mesmos semearam, e por isso tratam de tentar silenciar aqueles que se atrevem a denunciar as injustiças e as mentiras de que se alimenta o seu Sistema podre, corrupto, decrépito e mentiroso.
É por isso que, numa altura em que se acentuam as sistemáticas agressões ao espírito nacional, é mais que oportuna a conferência que se anuncia.

Não falte!
Da lista dos oradores, entre nacionais e estrangeiros, estão incluídos o Presidente do nosso Partido, José Pinto-Coelho e o Presidente da nossa Juventude, Filipe Baptista e Silva.

França: os factos falam por si

França: os factos falam por si
Escrito por José Pinto-Coelho
Quarta, 02 Novembro 2005

Será simplesmente a habitual "má vontade" dos Nacionalistas, como os politicamente correctos querem fazer crer? Os factos, acaso não falam por si? Será que os diversos governantes dos diversos países europeus não vão abrir nunca os olhos?
Tanto faz se as causas são puro autismo ou suicídio europeu. O que importa são os seus causadores! O que importa agora, são as consequências!
Ao que parece os governos ocidentais teimam em não aprender com a História recente da Europa. Não aprendem com a ex-Jugoslávia, não aprendem com o Kosovo, não aprendem com os atentados de Londres, não aprendem com os arrastões de Carcavelos... Insistem em não aprender!

Agora, como se vê (e não somos nós a exagerar, não! São as imagens que falam por si!) os arredores de Paris estão a ferro e fogo! Mais uma pequena lição...
A violência alastra já a vários bairros periféricos, os tiros são a "música" que embala a noite suburbana de Paris. Largas dezenas de carros incendiados, ruas e casas vandalizadas. Um espectáculo realmente "edificante", sem dúvida...
Era isto que os senhores bem-pensantes europeus queriam? Parece que sim! Será que os governantes franceses, ainda por cima, irão "ter de" pedir desculpa aos jovens violentos?
Esses mesmos senhores, se trocassem o seu luxuoso condomínio por um andar nos arredores das grandes cidades, se trocassem o seu belo carro pelos transportes públicos, aí sim, talvez aprendessem alguma coisa. Talvez tirassem algumas conclusões. Talvez...
Os povos europeus estão a ser mal-tratados nas suas próprias Nações: nas suas próprias Casas!
Será que não temos o direito à indignação? Ou esse direito está reservado apenas para alguns?
Será que não podemos dizer aquilo que pensamos acerca dos males que afectam a nossa soceidade? Ou essa liberdade de expressão é assegurada apenas aos que pensam segundo a cartilha do sistema?
O sistema - subserviente da ditadura cultural de esquerda - impõe os dogmas de conveniência, os chavões politicamente correctos e pratica sistemáticamente políticas de suicídio da Europa. Face a este panorama de destruição, não nos será permitido gritar o nosso descontantamento? Não nos será permitido combater pela defesa das nossas justas causas?
Poderão insistir em tentar calar e boicotar a voz do PNR, por dizer as verdades, mas jamais calarão a própria verdade!
Os europeus, têm o direito de defender a sua casa: a Europa!
Os portugueses, têm o direito de defender a sua casa: Portugal!
Mais! Têm esse dever! Se é que querem, de facto, continuar a ser portugueses e europeus.
Basta de crime! Basta de sistemas criminosos!

França: Nove feridos ligeiros e 180 viaturas queimadas na última noite em Paris

Nove feridos ligeiros, 180 viaturas incendiadas e quatro balas disparadas contra a polícia constituem o balanço da sétima noite consecutiva de confrontos entre as autoridades e jovens nos arredores do nordeste de Paris.
Este balanço da última noite apenas se circunscreve à região de Seine-Saint Denis, uma das mais pobres de França onde vivem numerosas famílias originárias de África.
Quatro polícias, dois bombeiros e três civis ficaram ligeiramente feridos por projécteis.
As balas disparadas contra a polícia e os bombeiros não fizeram quaisquer vítimas.
Os distúrbios surgiram há uma semana nesta região com a morte acidental de dois adolescentes, electrocutados num transformador em Clichy-sous-Bois (nordeste de Paris), onde se escondiam da polícia.
Fonte Novopress

Figueira da Foz Assaltos preocupam pescadores

Os proprietários de embarcações da pesca local andam em sobressalto, devido a alegados assaltos que fazem desaparecer as redes de pesca e outros apetrechos, causando «prejuízos elevadíssimos». Mas a barra também é uma «preocupação» e já a partir de segunda-feira algumas traineiras prometem ir descarregar o pescado noutros portos.Veja aqui