segunda-feira, dezembro 05, 2005

IN JUSTIÇA

Vinte e cinco anos depois da morte de Sá Carneiro, o chamado caso Camarate continua sem fim à vista. A oitava Comissão Parlamentar de Inquérito concluiu que houve um atentado e entregou as provas ao Ministério Público. A reabertura do processo está ainda nas mãos do Tribunal da Relação de Lisboa.
Todos temos o direito de saber o que aconteceu realmente naquele dia.
Mas o reaparecimento deste caso,nas colunas dos jornais e nas televisões merece da minha parte um desabafo.
Volto novamente a realçar que apoio acerrimamente que o dossier Camarate, seja devidamente investigado. Não posso nem devo no entanto deixar de falar de um outro episódio triste da nossa “democracia”. No dia 11 de Março de 1975, durante uma manifestação contra a desordem que naquela época imperava no nosso pais, um jovem foi barbaramente assassinado em frente ao RALIS (na altura este quartel era mais uma Sede do PCP e dos seus satélites que uma instituição militar),por um grupo de “militares revolucionários”, muito mal fardados e ataviados acompanhados por escumalha que só pretendia lançar o caos e a desordem .
Embora dois deles tenham sido identificados, e levados a Tribunal nunca foram condenados. Malabarismo dos tempos do PREC, que a história há-de condenar. Já que os homens tardam ou não querem faze-lo.
Impõe-se então aqui um acto de reflexão. Será que este caso teria tido outro desfecho, se o filho de algum politico do sistema tivesse sido o assassinado? Não duvido que sim. Neste país à beira mar plantado existe duas justiças. Uma para os Vip´s, para os que os que fazem parte da classe no poder, outra para o cidadão anónimo.

2 Comments:

Blogger Arruda escreveu...
Na minha fraca opinião, este atentado nunca será desvendado porque muitas cabeças do actual regime caíriam
6/12/05 13:36  
Anonymous Anónimo escreveu...
Very cool design! Useful information. Go on!
» » »
28/8/06 01:31  

Enviar um comentário

<< Inicio