domingo, janeiro 08, 2006

França: Comboio do Terror

França: Comboio do Terror
Notícias PNR
Sábado, 07 Janeiro 2006
«O testemunho dos passageiros agredidos tornou ainda mais grave o escândalo do ‘comboio do terror’, nome por que é designada a composição onde dezenas de vândalos assaltaram, no dia 1 de Janeiro, centenas de passageiros enquanto se dirigiam à estação de Marselha.» - CM
Segundo notícia divulgada pelo Correio da Manhã de Sábado, 7 de Janeiro, a polícia francesa tentou «evitar que transbordasse para a opinião pública» uma espécie de arrastão levado a cabo por «dezenas de jovens entre os 15 e 20 anos» num comboio da zona de Marselha. O motivo evocado pelas autoridades para a tentativa de silenciamento prende-se com o facto de «viajarem no comboio perto de 600 pessoas». Várias mulheres francesas relataram tentativas de violação e de humilhação pública por parte dos... jovens!
Na notícia divulgada pelo jornal El Mundo o Ministro do Interior Nicolas Sarkozy é apresentado como «exímio na arte de abafar escândalos». E esta é que é a grande questão levantada pela (não) divulgação dos contornos de mais um «arrastão»: o acordo tácito entre os donos do Sistema e os seus lacaios da comunicação social com vista ao silenciamento total dos casos diários de violência associada aos «grupos de jovens» que assolam a realidade do dia-a-dia dos europeus.
Não se trata apenas de mais uma «política de avestruz», tão habitual nos políticos que nos governam, mas é um assunto com contornos de censura institucionalizada, pelas mais altas hierarquias do Estado - neste caso por parte da União Europeia - desde que lançou uma Directiva no sentido de procurar esconder a verdadeira origem do crime.
Além de escandaloso, uma autêntica vergonha! Mais uma traição por parte daqueles que prometeram defender os interesses dos portugueses - e ainda há quem acredite que os actuais partidos do Sistema querem, ou vão, mudar alguma coisa...