terça-feira, janeiro 17, 2006

PJ não trabalha fora de horas

Actualidade
Greve: Acções suspensas durante a noite


Sem vigilâncias a suspeitos, sem buscas domiciliárias e sem escutas telefónicas fora das horas de expediente. Ontem, primeiro dia de greve às horas extraordinárias, centenas de elementos da Polícia Judiciária vestiram o casaco, arrumaram a secretária e, às 17h30, foram para casa, deixando a polícia a trabalhar com serviços mínimos até às nove da manhã.
Segundo o Correio da Manhã na origem da greve está o facto das horas extraordinárias não serem pagas.
Como qualquer normal trabalhador achamos que os profissionais da PJ devem ter direito a receber as horas extraordinárias.
O tipo de missões e funções dos funcionários da PJ muitas vezes trazidas à cena para justificar algumas diferenças nos pagamentos, reformas e outras regalias, já fica esquecida nestas alturas.
Nunca vi os sindicatos da polícia iniciarem uma greve contra o actual estado da justiça. Quando lhes mexem nos bolsos as acções reivindicativas não se fazem esperara, mas o facto de o seu trabalho resultar na maioria das vezes em nada, por culpa do actual sistema judicial, apesar de um reparo aqui e além não merece da parte dos sindicatos uma acção de protesto.