domingo, fevereiro 12, 2006

Portugal é um país rico ou pobre?

Textos
Domingo, 12 Fevereiro 2006

Portugal pode ser considerado um país rico. Sabia disso? Já tinha reparado?
Naturalmente que não repara nem sente a veracidade de tal afirmação, nem no seu bolso nem na sua qualidade de vida. Bem pelo contrário; acha que Portugal é um país sem meios, o mais pobre da União Europeia, etc. Certas pessoas há, até, que quase sentem pena dos políticos: admiram-lhes a “coragem” e compreendem as suas medidas...
Mas se olhar para o lado, logo repara nos carros topo de gama, nos empreendimentos majestosos, nas lojas com produtos caros e de “marca”, nos restaurantes de luxo, e por aí fora.
Efectivamente, Portugal foi classificado pela ONU, no ano passado, como o 27º país mais rico do mundo. Nada mau! Tendo em conta que já existem centenas de países neste nosso planeta, até se pode considerar um bom lugar. E é, de facto!
Sucede porém que, infelizmente, Portugal é um país pobre! Um país pobre e a entristecer!
Sim, na verdade, Portugal é simultaneamente um país rico e pobre; dependendo da perspectiva pela qual se encarar: é um país rico para alguns, mas pobre para a maioria e, sobretudo, para as gerações vindouras.
Há quem ande a fazer da nossa Pátria, uma república das bananas; um paraíso para milionários sem escrúpulos. Esses, acham-se no direito de saquear o erário público em proveito próprio. São eles, os mesmos que anunciam a falência da Segurança Social, que falam amiúde em crise, que exigem sacrifícios aos portugueses...
São eles que, através das suas políticas suicidas e criminosas, privam a Pátria da posse e fruição dos seus recursos naturais. São eles que entregam de bandeja os centros de decisão. São eles que alienam os sectores estratégicos da actividade da Nação...
A eles, tanto se lhes dá o dia de amanhã, desde que no dia de hoje possam encher os seus bolsos e as suas contas bancárias!
Eles exigem sacrifícios ao seu povo – o qual dizem defender e representar – mas o que lhes importa é garantir a própria barriga cheia, a mesa farta e as mordomias todas!
Eles são completamente indiferentes e insensíveis ao futuro de Portugal e do seu povo, pois estão demasiado cheios dos seus interesses egoístas. E os exemplos de desigualdade multiplicam-se! O fosso entre ricos e pobres é uma afronta!
Agora, recentemente, para aumentar o justo sentimento de indignação e de injustiça - diante de um cenário de tantos sacrifícios exigidos ao nosso povo, de tanto desemprego, de tantas falências, de tantos ordenados ofensivos à dignidade do ser humano e à dignidade das famílias - os nossos governantes não hesitam em anunciar que se vão pagar de 4 mil a 11 mil contos – consoante os casos – a cada um dos 84 ex-deputados da anterior legislatura, através de um “Subsídio de «Reintegração»”...
E porquê?! Será esta, uma “justa gratificação” pelo rico serviço que prestaram à Nação? Coitados dos srs. ex-deputados, que para além do “modesto” vencimento que auferiram enquanto parlamentares, precisam agora de mais esta “ajuda” para compensar as “imensas dificuldades” que terão que suportar durante os escassos dias em que não têm novo emprego de “modesto” salário.
Senhores governantes, senhores deputados e ex-deputados: a lata tem limites!
Não haverá por acaso objectivos mais úteis e justos para esse dinheiro que é de todos nós?
Pois a nós, PNR, quer-nos parecer que vivemos num quotidiano de falências, de crise para as famílias, para os trabalhadores, para os comerciantes, para as empresas médias e pequenas...
Mas o caminho escolhido pelos governantes é sem dúvida o de “fartar vilanagem”, de saquear e enriquecer, assistindo ao empobrecer da maioria do povo e dos recursos da Nação.
Para que servem então, os políticos que não dão o exemplo? Que autoridade poderão ter os dirigentes que não exemplificam com a sua conduta?
O saque ao país, a mediocridade dos dirigentes e a falta de escrúpulos estão cada vez mais na ordem do dia. Assim, também, cada vez mais é a hora de dizer: basta! Rua com eles!
Portugal precisa de dirigentes que dêem o exemplo; que sirvam; que inspirem confiança, seriedade e autoridade. Portugal precisa de políticos Nacionalistas! Portugal precisa do PNR!

2 Comments:

Blogger O Raio escreveu...
No concerto das Nações Portugal é um país rico.
Este artigo alinha pelo choradinho habitual no qual não alinho. Distorções sociais há em todo o lado. Em Portugal também.
O principal problema do país é que estamos a empobrecer devido à malfadada adesão à união Europeia (na altura CEE) e ao Euro.
Em vez destes discursos demagógicos deviamos era discutir como é que nos vamos livrar da União europeia.
14/2/06 16:04  
Anonymous Anónimo escreveu...
Pois sim. Se o PNR falasse em livra-mo-nos da U.Europeia, que é a linha do Partido, logo viria alguém chamar-lhe discurso demagogico, né? preso por ter cao e preso por não ter.
14/2/06 20:59  

Enviar um comentário

<< Inicio